Crônica dos comuns: Internet e co-autoria


E então, trata-se da “morte do autor” ou de um autor mais explicitamente colaborativo?
Ao análisar o movimento histórico da autoria, todos os seus fenômenos, desde o inico da história, quando os primeiros humanos relatavam suas experiências em paredes das cavernas, podemos perceber que a co-autoria sempre existiu. Penssemos na idade média quando os escribas nos monsteiros “em seus trabalhos de transcrição nitidamente isolados” adicionavam, àqueles novos produtos intelectuais, novos contextos e por vezes novas abordagens.
O co-autor não é somente aquele que assina a seguir do autor em uma obra, mas também todo sujeito que adiciona de maneira direta e indireta entendimento e significado. A construção do conhecimento é sempre conjunta e requer um movimento constante. O que nós conhecemos é o conhecimento de tudo que já conheceram, adicionado a nossa parcela de contribuição das coisas do “mundo em si” em seu movimento atual.
Na internet, essa co-autoria está explicita através dos dispositivos da Web 2.0, como blogs, e as comunidades, a exemplo das que tratam do software livre.

Assim, vale a máxima do conhecimento popular: “quem conta um conto, sempre adiciona um conto”.
Por Barbara Coelho

Anúncios